AS mocinhas chatas !!!

20:59

não falem de mim ein!!!

Paloma (Amor à Vida)



Pelas contas do rosário, criatura! Paloma, a personagem de Paolla Oliveira em Amor à Vida, é de difícil digestão. Dá quase para torcer para Félix acabar logo com o seu doce e despachar a irmã pra qualquer lugar que seja. 

Para complicar, além de ingênua como uma porta, Paloma tem o péssimo defeito de se envolver com homens tão ou mais chatos que ela. Afinal, se Ninho (Juliano Cazarré) é um verdadeiro coquetel de lacto-purga, o que dizer de Bruno (Malvino Salvador) e sua pieguice sem fim?

Sério, eu super entendo o Félix e sua antipatia pela irmã. Ela deveria é aceitar de vez o seu lado hippie e ir embora para sempre. Da vida de Félix, da novela e da nossa televisão. 

Tchau Paloma, boa viagem!
Sol (América)

Glória Perez tem um dom: criar mocinhas chatas pra cacete! E se escolho a Sol vivida por Deborah Secco em América para essa lista, saiba que essa não foi uma tarefa nada fácil. Afinal, a mesma autora criou a idiota Morena (Nanda Costa, em Salve Jorge), a tapada Maya (Juliana Paes, em Caminho das Índias) e a tonta Jade (Giovanna Antonelli, em O Clone). Tá bom pra você?

Em América, Sol tinha um sonho: se mudar de mala e cuia para os EUA e viver o sonho americano. Mas, besta que só, vivia o tempo todo chorando e andando para cima e para baixo com um souvenir barato da Estátua da Liberdade e tomando apenas decisões estúpidas. 

Nesse meio tempo se apaixonou pelo peão Tião (Murilo Benício) e acabou em Miami entregue via Fedex dentro de uma caixa de geladeira. Por mim, uma mente bem mais brilhante que a de Glória Perez, tinha era acabado com o boi bandido no final da novela. Pena que não ganha a vida escrevendo enredo, né?
Giuliana (Terra Nostra)
Giuliana (Terra Nostra) Matteo, amore mio! Quem não se lembra dos rios de lágrimas vertidos pela protagonista de Terra Nostra, de Benedito Rui Barbosa? Por culpa do autor, a personagem de Ana Paula Arósio comeu o pão que o diabo sambou em cima e, tadinha, sofreu, chorou e viveu mil dramas durante toda o novela. Resultado? Se tornou uma chorona chata que, muitas vezes, deixou a audiência com vontade de entrar dentro da televisão e dar uns bons tapas em sua cara para sacudí-la e acordá-la para a vida. Vivendo um amor à la Titanic, Giuliana e Matteo (Thiago Lacerda) se conheceram em um navio enquanto migravam da Itália para o Brasil, viveram um amor tórrido e, separados, ficaram quase que a novela toda procurando-se, com Giuliana sofrendo, chorando e nos irritando. Haja saco, viu! ___ Sabemos que escrever novela não é o mais fácil dos trabalhos, mas o que sinceramente peço aos nossos queridos autores é simples: por favor, meus caros, por uma dramaturgia com menos mocinhas chatas e mais gente interessante!
Paula (Paraíso Tropical)

Eis uma prova que a chatice de uma personagem insuportável não é culpa da atriz que a interpreta. Afinal, Alessandra Negrini teve a difícil tarefa de fazer de Paula uma protagonista aceitável, mas fracassou miseravelmente nisso devido à chatice congênita da mocinha da história. Para sorte do público, entretanto, a mesma atriz viveu, na mesma novela, a gêmea má Thaís, mostrando que a culpa não era de Alessandra e sim da personagem. Erro fundamental de personagem, só pode.

Filha de uma cafetina, Paula comeu o pão que o diabo amassou na novela, já que separada de seu grande (e igualmente insuportável) amor, Daniel (Fábio Assunção), não conseguia sequer perceber que era manipulada a torto e a direito pelos vilões da trama. 

O problema? O público nem ligava para o sofrimento da protagonista, já que uma pessoa chata como ela tinha mais é que penar na vida. Enquanto isso, personagens bem mais legais, como Bebel (Camila Pitanga), Olavo (Wagner Moura) e a gêmea má Thaís, cairam no gosto do povo. 

Ou seja, bonzinho chato só se fode!
Maria Eduarda (Por Amor)
Maria Eduarda (Por Amor) Eis a nossa TOP TOP entre as TOPs. Afinal, já existiu mocinha tão irritantemente chata em uma novela quanto a Maria Eduarda vivida por Gabriela Duarte em Por Amor? Não, meus caros, duvido! A personagem, inclusive, foi a primeira a mobilizar a audiência na internet e várias campanhas foram criadas na rede CONTRA ela. Vivendo a filha da Helena (Regina Duarte) da novela, Maria Eduarda era mimada, egoísta e bebia um litro de chatice líquida por dia. Apesar disso, sua mãe a amava incondicionalmente e teve a coragem de trocar o filho recém nascido vivo pelo morto da própria filha, desencadeando todo o drama que durou toda a novela. Manoel Carlos, um expert em retratar o cotidiano em suas tramas, criou uma Maria Eduarda real, como muitas chatas que conhecemos pela vida. E que, infelizmente, não podemos criar campanhas contra na internet.


Rachel Berry(Glee)
falar de chatice e não falar da personagem de Lea Michele no glee é fazer post incompleto né afinal tinha coisinha mais prepotente , egoísta , egocêntrica do que ela qual é a menina queria ser o centro das atenções , queria chamar a atenção de todos , e queria que o coral girasse em seu redor e ainda por cima só pensava em si mesma , na sua fama e na sua carreira mas apesar de tudo eu amava a Rachel com todas minhas forças no final das contas ela aprendeu a lição, mas enquanto isso não aconteceu ela irritou muito achando que ela era a melhor cantora do mundo e que sua voz servia para ser vocalista do coral



Foi mal ai Rachel Berry !!!


Eu, e toda a audiência, agradecemos! ;-)

You Might Also Like

0 comentários

alguem comentou ? AAAH obrigada por comentar !!!

Popular Posts

Postagem em destaque

As 14 Heroínas Mais Poderosas dos Quadrinhos

O mundo dos quadrinhos não é feito só de super-heróis. Na verdade uma das partes mais importantes deste universo fictício são mesmo as  s...

Posts mais vistos