15 Melhores Musicas da Björk

19:19



Sabemos que se existe alguém que explorou a música e arte musical, no fundo do experimentalismo do rock e do independente do Indie, este alguém se chama Björk, ao longo de sua carreira de Debut à Vulnicura a cantora buscou e inovou e tudo, sendo sempre aclamada pela crítica (tanto que seus álbuns são avaliados todos acima do 70 no Metacritic) e pelas vendas. A islandesa pode ser considerada a mãe da arte musical do novo século e é sem dúvidas a artista mais criativa de sua geração, bom vamos lá .

It's Oh So Quiet (1995)



Esse clássico é um cover maravilhoso, e foi uma música de enorme sucesso no ano de 1995, do álbum Post, a música foi um hit e tanto, é um jazz maravilhoso. A música está na lista dos 15 maiores Sons De Jazz de todos os tempos pela Billboard, e na versão de Bjork.

Possible Maybe (1994)



Também do álbum Post, a musica é simplesmente Maravilhosa, em letra e conteúdo, além de ter uma batida viciante, de primeiro encontro você pode estranhar a música, mas faça um esforço e verá que irá amar depois. 

HyperBallad (1995)




Ainda no álbum Post pegada maravilhosa de HyperBallad que mistura Samba e também uma batida eletrônica completamente avançada pra época em que foi lançada, a música soa tão atual que se tocar numa balada, claramente sem remix algum as pessoas podem dançar até cansar. Sem contar o clipe super futurístico né manas.

All Is Full Of Love (1997)



Toda a psicodélica que poderia em existir em uma unida ao classismo estão nesta música. O charme sexual das vozes se unindo declarando que tudo foi por amor é encantador.

Unison (2001)



Todos sabemos que Vespertine é a maior obra de Björk depois de Homogenic, e simplesmente porque rendeu as mais maravilhosas músicas da cantora em um único album, o trabalho de coros e harpas e harmonia combinam perfeitamente, algo que seria quase new age, que Enya gravaria, mas Björk faz com maestria e grandeza, Unison é sem súvidas uma obra de arte.

It's Not Up to You (2001)


 
Vespertine mais uma vez contribuindo pra beleza da música, esse coro musical é tão gratificante que compensa tudo de ruim que você já ouviu, a música traz um conforto eternal e de uma forma bem sensual, da maneira Björk de ser.

Hunter (1997)



Claramente a mistura de músicas clássicas e eletrônica poderia ser um desastre, não para o melhor álbum dela, Homogenic nos presenteou com Hunter e seu clipe icônico, Hunter é futurística e sem dúvidas alguma é uma das músicas de maior destaque na carreira da cantora, pode soar estranha no começo, mas eu juro, depois umas 4 reproduções você vai ama-la.

Jóga (1997)


Com certeza a melhor música da carreira de Bjork. A potente harmonia entre o clássico e o atual aqui é gritante.

Unrável ( 1997)





Bachelorette (1997)


Música digna de uma trilha sonora música com um intro no minimo memorável, outra obra dada por Homogenic, que mistura violinos junto de sons eletrônicos, a música faz sentido completo. 

Army of Me (1995)


Se em 2007 Blackout da Britney Spears repercutia o electropop em 1995 em post Björk o introduzia, sim, ele usava influências do electro para compor um rock experimental e que ela já vinha desses meios lá dos anos 80's aonde os elctro era forte, mas Army Of Me é uma das músicas mais marcantes da cantora e também da história da música no mundo.

Oceania (2004)



Medula foi sim a maior obra de arte da música em toda sua história, o CD que se baseia todo em apenas vozes equalizadas que causam um real momento de Glória a nossa cantora, Oceania é um dos tesouros de Medula, apesar da base eletro nu fundo, ouvimos um coro e também um beat box incrível que faz da canção primordial e com um letra fantástica!

Lionsong (2015)


O todo pessoal Vulnicura nos deu de presente essa incrível obra baseada em distorções vocais e harmonias entre instrumentos e eletrosons que compõem uma faixa incrível cheia de surpresa.


Virus (2011)


Biophilia é um álbum todo feito digitalmente que é incrível e Virus é a melhor canção deste maravilhoso álbum. Ouça que angelical a música parece.

Pagan Poetry (2001)



A sensualidade e a Arte musical nunca andaram tão juntas como aqui. Do épico Vespertine uma das maiores obras musicais, com um clipe arrasador e esta letra que é um poema, a voz de Bjork como se estivesse numa luta e os sons liricamente simulando um orgasmo sexual e ao fundo um coral que parece incitar um ato sexual.


Bônus 

You've Been Flirting Again (1995)

You Might Also Like

1 comentários

Mais Lidas

Postagem em destaque

E Se Prety Little Liars Fosse Brasileira? (Versão Globo)

Já fizemos esse post aqui, porém no modo SBT (isso é, usando atores jovens do SBT) agora vamos fazer usando os da Globo.inc. Você já pensou...

Posts mais vistos