Os 10 animais mais nojentos do mundo

22:36

Tudo aquilo que embrulha o nosso estômago só de pensar é comum para alguns representantes do reino animal


Urinar para indicar que quer namorar, comer o próprio cocô, vomitar na boca dos filhotes para alimentá-los… Tudo aquilo que embrulha o nosso estômago só de pensar é comum para alguns representantes do reino animal.



10. BALADA FEDIDA
ANIMAL – Gálago
LOCAL – África
Apelidados de “pequenos macacos noturnos”, os gálagos passam a maior parte do dia enrolados na parte oca das árvores. Quando o Sol se põe, desenrolam a cauda e se preparam para a night lambendo toda a pelugem até que fique lisa e lustrosa. Para completar o ritual, urinam sobre as próprias patas a fim de que suas pegadas, banhadas pelo forte e típico odor de sua urina, delimitem o território e mantenham os predadores afastados.
9. LIXEIRO DO MAR
ANIMAL – Barata-de-praia
LOCAL – América do Sul e Japão
Conhecido pelo nome científico bathymonus, este crustáceo é uma evolução dos camarões, os famosos garis do oceano. A diferença é que, além de maior, a barata-de-praia tem uma dieta mais nojenta. Plâncton, esponjas-do-mar e resto de peixes e outros animais mortos estão no seu cardápio. Ainda assim, há quem diga que sua carne tem sabor semelhante ao do caranguejo. Será que alguém encara?
8. SEDE DE SANGUE
ANIMAL – Morcego hematófago
LOCAL – América
O pequeno “morcego-vampiro”, uma das únicas espécies de mamífero capazes de voar, alimenta-se de sangue de outros animais e também de pessoas. Apesar dos dentes incisivos grandes e afiados, seu ataque é sutil e dificilmente acorda a vítima. Sua saliva possui um forte anticoagulante, que retarda a cicatrização da ferida, permitindo que voltem a se alimentar da mesma fonte. Ninguém é capaz de virar vampiro com sua mordida, mas é possível contrair raiva.
7. DURO DE MATAR
ANIMAL – Rato-toupeira-pelado
LOCAL – Sul da Etiópia, Quênia e Somália
De pele rosada e muito enrugada, o rato mais feio do planeta vive debaixo do solo, é cego e possui dentes que nunca param de crescer. Sua rainha tem uma urina hipnotizante, que torna todos suscetíveis a seu comando. Os machos engraçadinhos que se aproximam para acasalar levam a maior surra. Mas não sentem dor: a espécie é imune a qualquer tipo de tortura, até mesmo com ácido ou fogo. Estranho é pouco!
6. FESTA NO SALÃO
ANIMAL – Girafa
LOCAL – África
As compridas línguas das girafas, de até 50 cm, não servem apenas para alcançar alimentos no topo de árvores, mas também para limpar a parte interna das narinas. Outra lambida indiscreta desses animais é a que o macho dá na fêmea quando está a fim de namorar: ele cutuca com a boca uma região localizada no traseiro dela e a induz a urinar. Depois, experimenta o xixi para detectar pistas olfativas que indicam a ovulação. Se o néctar do xixi for aprovado, tem início o rito do acasalamento.

5. CHUVINHA DOURADA
ANIMAL – Porco-espinho
LOCAL – Europa e América do Sul
Quando um porco-espinho macho quer namorar uma fêmea, ele se aproxima dela com o pênis já ereto, se empina e… começa a urinar nela. Obviamente, a garota não gosta de receber a chuva de xixi e fica ainda mais ouriçada. Só depois que a raiva passa, ela abaixa os espinhos. O macho faz o mesmo e, então, inicia o ato sexual. As fêmeas menos experientes podem machucar os parceiros se não controlarem os espinhos
4. CADÁVER À LA CARTE
ANIMAL – Tatu-peba
LOCAL – Interior do Brasil, Suriname, leste dos Andes e Argentina
Embora sua alimentação básica seja composta de formigas, insetos e folhas, esta espécie de tatu de coloração amarronzada recebeu o singelo apelido de “papa-defunto”. Como costuma cavar tocas com até 2 m de profundidade, consegue entrar em sepulturas e comer os restos dos cadáveres, principalmente em cidadezinhas pequenas, locais em que os cemitérios costumam ter construções precárias e desprotegidas
3. BEM MASTIGADO
ANIMAL – Pombo doméstico
LOCAL – Em todo o planeta
Como os pombos recém-nascidos são muito fracos para buscar o próprio alimento, são os seus pais (sim, os pombos machos) que vão atrás da comida. Eles comem grãos, sementes, farelos e o que mais for encontrado no lixo, regurgitam no próprio papo e levam de volta ao ninho para que os pimpolhos possam se alimentar dessa deliciosa mistureba. O ritual se repete até que filhotes sejam capazes de voar
2. FEZES NUTRITIVAS
ANIMAL – Coelho
LOCAL – Em todo o planeta
No caso dos “fofinhos” coelhos, a coprofagia, como é chamado o ato de comer as próprias fezes, é uma estratégia de sobrevivência. Eles fazem dois tipos de dejetos, ambos em forma de bolinha: um mais seco e outro mais úmido, os cecotrofos. Estes são produzidos no ceco (junção do intestino delgado e grosso), onde há bactérias e fungos que fornecem nutrientes indispensáveis à saúde deles. Por isso, essas fezes são comidas imediatamente após serem eliminadas e protegem os animais de várias doenças
1. SOPA DE COCÔ
ANIMAL – Coala
LOCAL – Austrália
Assim que nasce, este bicho cinzento de aparência inofensiva precisa comer as fezes de sua mãe (direto da fonte!) para sobreviver. No excremento materno, que na verdade consiste em uma espécie de sopa intestinal, está presente a microbiota, um tipo de bactéria que ajuda a reciclar os nutrientes. Ela é capaz de digerir a celulose presente nas fibras vegetais encontradas nas folhas de eucalipto que vão compor a dieta do animal ao longo da vida. Como o coala recém-nascido ainda não consegue mastigar, é somente por meio dessa sopa de cocô que ele irá se alimentar nos meses iniciais de sua vida
FONTES Celso Martins, professor do curso de medicina veterinária da Universidade Metodista de São Paulo (Umesp); Diego Kenne, biólogo da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); documentário Animals Behaving Badly, do Discovery Channel; e site biologiaselvagem.com.br

You Might Also Like

0 comentários

alguem comentou ? AAAH obrigada por comentar !!!

Popular Posts

Postagem em destaque

As 14 Heroínas Mais Poderosas dos Quadrinhos

O mundo dos quadrinhos não é feito só de super-heróis. Na verdade uma das partes mais importantes deste universo fictício são mesmo as  s...

Posts mais vistos