Teoria da conspiração: o pé-grande existe?

23:13


1. As referências a esse bípede de 3 m de altura são antigas e aparecem em relatos da maioria das tribos da América do Norte. Muitas delas o chamam de “Sasquatch”, que deriva de Sásq’ets – “homem selvagem” em halkomelem, idioma dos nativos do noroeste dos EUA e do sudoeste do Canadá.
2. O mito ficou popular nos anos 1950, quando uma pegada foi encontrada em Bluff Creek, Califórnia. Em 1967, um vídeo exibia um suposto pé-grandeem uma praia da cidade. Nas décadas seguintes, foram 4.945 avistamentos, segundo uma organização de pesquisadores do pé-grande.
3. Desde 1963, cientistas de várias áreas investigam a existência do pé-grande. Entre os envolvidos estavam o antropólogo Grover Krantz (morto em 2002), da Universidade do Estado de Washington, o biólogo John Bindernagel e o especialista em locomoção de primatas Jeff Meldrum.
4. Krantz analisou pegadas encontradas em Bossburg, em Washington, na década de 1960, e concluiu que os pés tinham projeções laterais e dedos deformados. Após outros estudos, ele defendeu que as pegadas só poderiam ser de um pé-grande.
5. Em 1996, na floresta de Umatilla, em Washington, novas pegadas chamaram a atenção. Com mais de 35 cm, elas indicavam movimento de corrida e estavam dispostas em um ângulo de 45 graus, sugerindo que o bicho estava olhando para trás. O mais importante: a parte interna da planta dos pés era estreita demais para ser de um animal conhecido.
6. A partir de pegadas como essas, estudiosos fazem moldes de gesso para recriar o bicho. O mais famoso é o “gesso de Skookum”, que revela um pé-grande com braços, coxas e nádegas quase 50% maiores que os de um humano.
7. Nos anos 1970, os caçadores de pé-grande Al Berry e Ronald Morehead gravaram, em uma floresta na Sierra Nevada, Califórnia, os chamados “Sierra Sounds”: 1h30 de vocalizações e batidas em madeira. Os sons seriam diferentes dos de qualquer ser já registrado.
8. Em 2012, a veterinária norte-americana Melba Ketchum apresentou amostras de DNA de pelos, sangue, saliva e tecidos e confirmou a existência do pé-grande. Ela acredita que se trata de um híbrido entre o Homo sapiens e um primata desconhecido.
Por outro lado…Nenhum desses estudos tem credibilidade na comunidade científica

– Apesar dos relatos muito antigos, ninguém jamais encontrou e catalogou ossos, tecidos ou qualquer evidência biológica do pé-grande
– As fotos atribuídas à criatura não são de boa qualidade, muito menos conclusivas. Podem ser macacos, outros animais ou até pessoas vestindo fantasias
– Há avistamentos registrados em muitos lugares da América do Norte. Para ocupar toda essa área, a população da espécie seria grande o suficiente para ser devidamente registrada pela ciência. Difícil passar despercebida por tanto tempo. O urso-negro, apesar de ser um bicho recluso, é conhecido do homem há mais de mil anos e tem 16 subespécies classificadas
– Em 2014, pesquisadores da Universidade de Oxford (Reino Unido) analisaram supostas amostras de cabelo do pé-grande disponíveis em museus e coleções particulares. Todas vinham de animais como urso, lobo, veado, carneiro, vaca – e até de seres humano.
– O artigo de Melba Ketchum foi publicado anonimamente em um site obscuro de ciência que ficou só um ano no ar. Além disso, um geneticista analisou as tais amostras de DNA e concluiu que elas são de gambá.

FONTES ABC News, Animal Planet, Big Foot Biologist, Bigfoot Field Researchers Organization, NATIONAL GEOGRAPHIC, Ron Morehead, Scientific American e Time

You Might Also Like

0 comentários

Mais Lidas

Postagem em destaque

E Se Prety Little Liars Fosse Brasileira? (Versão Globo)

Já fizemos esse post aqui, porém no modo SBT (isso é, usando atores jovens do SBT) agora vamos fazer usando os da Globo.inc. Você já pensou...

Posts mais vistos